Pais observam e conversam sobre Sala Agrupada Montessoriana

Pais observam e conversam sobre Sala Agrupada Montessoriana

Com esta atividade, as famílias puderam analisar, refletir e constatar os benefícios para as crianças

            Aconteceu, no Colégio Santa Úrsula, de Ribeirão Preto (SP), no dia 10 de novembro, mais um encontro do grupo de estudos sobre o Método Montessori. Com uma transmissão em tempo real, pais dos alunos da Educação Infantil I, II e III assistiram ao desenvolvimento do trabalho de uma Sala Agrupada Montessoriana, formada por crianças de 3 a 6 anos de idade, no Auditório, enquanto outro grupo as observava, in loco, trabalhando de acordo com a proposta do método.

            “Depois de várias reuniões, que ocorreram durante todo o ano, nas quais foram apresentados material didático e toda parte teórica, os pais observaram como funciona uma Sala Agrupada”, explicou Vivian Lorenzato, coordenadora da Educação Infantil. “Nossa proposta é que eles vejam as crianças trabalhando, sintam como é a dinâmica, como os alunos interagem, percebam qual é o papel do professor e, como, de fato, este ambiente de descobertas e aprendizagens acontece”, disse. A coordenadora e as professoras Fernanda Amorim e Alessandra Sussman mediaram a aula.

            Os pais puderam anotar todas as dúvidas e observações para depois compartilharem com a equipe de Coordenação formada, ainda, por Fernanda Beloube, Danielle Borges, Lorraine Teles e a psicóloga Mariana Ribeiro. “Em uma Sala Agrupada, os mais velhos desenvolvem senso de responsabilidade e se tornam referência para os menores, que são estimulados a se desenvolver. É uma troca muito rica na qual todos ganham”, explicou Fernanda Beloube.

Parceria e confiança entre os pais e o colégio

            Alessandra Rocha Machado é mãe de Maria Antônia, de 3 anos, que está na Sala Agrupada, e dos gêmeos Davi e Antônio, que estão no Berçário II do Colégio Santa Úrsula. “Eu amo a escola. O método é maravilhoso. Não tenho falhas a apontar. As crianças estão se tornando muito autônomas e se desenvolvendo muito bem. Elas adoram a escola”, ressaltou.

            Renata Scarpino tem a Liz no Infantil III e o Luca, no Berçário III. “Eu não tive dúvidas. Fui professora do Colégio Santa Úrsula de Ribeirão Preto e conheço bem o Método Montessori. Sei que a Sala Agrupada é um valor. Agrega muito, não só ao desenvolvimento da aprendizagem, mas, sobretudo, ao lado emocional da criança”, disse.

            Janaína Andreoli Calor é mãe de Matheus, de 4 anos, que está na Sala Agrupada, e de Ronaldo, de 2, no Berçário III. “A escola dos filhos tem que estar diretamente relacionada com os valores da família. A mãe precisa ter essa identificação com a rotina, com a organização, com a religião. Ela tem que ter a certeza de que seu filho será bem cuidado. Sei que posso trabalhar com paz no coração, pois acredito que aqui meus filhos serão bem cuidados. O método propõe que a criança seja independente. Ele oferece esta liberdade geográfica e de expressão para as crianças. Elas se movimentam, ganham autonomia e é isso que eu valorizo”, explicou.

            A coordenadora Danielle Borges salientou que a Sala Agrupada respeita o tempo de cada criança e oferece os estímulos e os materiais didáticos certos para cada idade. “Não adianta uma escola ser só conteudista. Aqui o aluno é preparado para desenvolver a sua aprendizagem”, afirmou. Lorraine Teles lembrou que, neste processo, a confiança e a parceria entre a família e a escola são imprescindíveis.



ÁREA RESTRITA
PAIS, ALUNOS E PROFESSORES

TOPO