Método Montessori

Ao caminhar pelas salas de aula do Colégio Santa Úrsula, o que se encontra é um ambiente sereno, calmo e carregado de energia positiva. Em cada espaço dedicado à Educação Infantil e ao Ensino Fundamental I, predomina um clima de liberdade no ritmo do aprendizado e respeito à individualidade de cada aluno. É assim que o Colégio Santa Úrsula trabalha a educação de crianças de 3 a 10 anos, seguindo o método da educadora italiana Maria Montessori.
 
Ao contrário da metodologia tradicional, as salas de aula do Santa Úrsula não têm carteiras enfileiradas. Além disso, o professor, apesar de deter maior conhecimento, atua como parte integrante do grupo, em uma relação recíproca de respeito. Os espaços têm materiais que estimulam a autonomia dos alunos. Eles trabalham em pequenos grupos, sempre sob o olhar atento de uma pedagoga especializada. “O ambiente escolar é adequado para o Montessori, com mobiliário especial e atividades que favorecem o aprendizado prazeroso. O Colégio Santa Úrsula é o único da região que utiliza os estudos de Maria Montessori como base”, conta a coordenadora da Educação Infantil.

Em constante atualização, os profissionais do colégio recebem cursos de capacitação com a presidente da ABEM (Associação Brasileira de Educação Montessori) Talita de Almeida. Para ela, o Santa Úrsula já é referência nacional no ensino Montessori. O método, trazido para Ribeirão por Madre Helena Franco na década de 70, surgiu em 1907, em um bairro simples de Roma (Itália). Nesse ambiente, a médica Maria Montessori fez suas primeiras experiências educacionais . “Maria Montessori começou a estimular esses aprendizes com objetos curiosos, apresentando letras, números e outros símbolos. Pouco tempo depois, percebeu que elas conseguiam assimilar melhor o conhecimento”, relata Talita. Após essa experiência, a médica passou a estudar todos os processos pedagógicos até criar o Montessori. “Qualquer criança, desde que esteja em um ambiente bem preparado, responde positivamente à técnica, independentemente do idioma, classe social ou idade”, complementa a especialista. Para isso, são necessários materiais que despertem a curiosidade e a noção de espaço e de tempo. A pedagogia montessoriana propõe o trabalho prático antes de apresentar conteúdos teóricos. 

O Colégio Santa Úrsula trabalha, desde cedo, a responsabilidade de cada aluno consigo mesmo. As jovens Bruna e Luisa Maciel Aranda, de 11 e oito anos, respectivamente, foram educadas pelo método. “O que nos chamou a atenção foi a independência das minhas filhas. Elas são autônomas e proativas desde pequenas. Por isso, o aprendizado ficou fácil para elas”, declaram os pais, Vanessa e Marco Antônio Aranda.

O Montessori também desperta nos alunos a percepção da própria existência com relação ao mundo. Eles são encorajados a desenvolver suas potencialidades como seres únicos, que podem usar suas habilidades particulares em qualquer contexto social. “Os alunos aprendem a ver que o sucesso do grupo depende das diferenças e do talento de cada um”, explica a coordenadora do infantil. Ainda segundo a pedagoga, a metodologia Montessori serve como base aos estudantes nas etapas seguintes do processo educacional. “Na adolescência, por exemplo, os alunos enfrentarão a competitividade do vestibular com muita naturalidade”, conclui.

FICOU COM ALGUMA DÚVIDA?

Em nossa página de contato você encontra várias opções de como falar com a gente. Tire todas suas dúvidas sobre o ensino no Colégio Santa Úrsula de Ribeirão Preto.


ÁREA RESTRITA
PAIS, ALUNOS E PROFESSORES

TOPO